Terça, 15 Outubro, 2019 - 09:28

A peste suína ainda não chegou ao Luxemburgo

O grupo de trabalho que acompanha de perto a situação da peste suína reuniu-se na semana passada, pela quinta vez desde fevereiro de 2018, no ministério da Agricultura.

O principal objetivo da reunião era fazer o ponto da situação, a dois dias da abertura da época de caça.

O ministro da Agricultura, Romain Schneider, sublinhou que todos os agentes envolvidos neste assunto devem continuar a trabalhar em conjunto para impedir a propagação do vírus, da Bélgica para o Luxemburgo.

Daí as autoridades terem apelado aos caçadores, para que abatam o maior número possível de javalis no Luxemburgo. Já foram abatidos 17 na zona de caça seletiva, a sul de Steinfort.

O laboratório de medicina veterinária já fez 298 análises no Luxemburgo, todas com resultado negativo, refere, em comunicado, o ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural.

As autoridades do Grão-Ducado criaram, em setembro de 2018, um perímetro de vigilância no sudoeste do país, junto às fronteiras com a Bélgica e a França, incluído num pacote de medidas de prevenção.

O vírus não afeta os humanos e o contágio só acontece entre os javalis e os porcos.

Os caçadores que aderirem a esta iniciativa recebem 100 euros por cada javali morto e entregue num centro de recolha.

Retirado de:

https://www.wort.lu/pt/luxemburgo/a-peste-su-na-ainda-n-o-chegou-ao-luxemburgo-5da3f707da2cc1784e34d8e0


Acesso Restrito

Necessita registar-se para visualizar os anexos